Como começar a investir em 10 etapas: saiba as principais dicas

Rafael Alves

Se você chegou até aqui é porque provavelmente ainda não sabe exatamente como começar a investir. Infelizmente, ter conhecimentos sobre educação financeira ainda é raridade no Brasil. Com falta de hábitos, incentivos e referências, é normal que muita gente fique perdida nessa hora. Investimentos realmente podem parecer complicados para quem ainda não começou. Mas com um pouquinho de informação você vai ver que é mais fácil do que parece. Você pode começar hoje mesmo!

A vontade de investir chega em diferentes momentos para cada pessoa. Pode ser a chegada de filhos, a idade, a entrada na universidade, um novo trabalho ou qualquer outra razão. O que importa é conhecer os meios necessários para começar a fazer investimentos.

Continue lendo para entender como começar a investir!

Leia também: Conheça os diferentes tipos de cartão de crédito e suas vantagens.

Entendendo como começar a investir

Como falamos, começar a investir não é tão difícil quanto parece. Acompanhe as etapas a seguir para saber quais serão seus próximos passos. É possível dar os primeiros passos para se tornar um investidor sem complicações.

Pague suas dívidas

Pagar suas dívidas não é obrigatoriamente uma das etapas para começar a investir, mas é extremamente recomendável. Isso porque as taxas de juros das dívidas costumam ser superiores aos ganhos médios da maioria dos investimentos. Ou seja, não adianta você investir para ganhar 0,8% se você está pagando 2,2% de juros em dívidas.

A sugestão é que você faça um levantamento de todas as dívidas. Depois, tente acumular elas em uma dívida só. Poderia ser, por exemplo, um empréstimo único que pague todas as outras dívidas. Tente negociar boas taxas de juros e não esqueça de deixar o prazo mais curto quanto for possível. Afinal, quanto menos tempo você demorar, menos juros paga.

Faça um planejamento financeiro

É o planejamento financeiro que vai determinar, entre outras coisas, o valor que você tem disponível todos os meses. Tanto para pagar as contas cotidianas quanto para investir.

Uma dica é fazer uma planilha e anotar absolutamente todos os seus gastos. Depois disso, você pode tentar fazer cortes no que for supérfluo. O valor total que você poderá investir será determinado, entre outras coisas, por essa planilha.

Tenha objetivos

Se você quer saber como começar a investir, faça uma lista com seus principais objetivos. Quanto mais específica a lista for, melhor. Saber onde você quer chegar (objetivo) ajuda a decidir outros detalhes dessa jornada.

Listar objetivos ajuda a elencar prioridades. Além disso, também facilita para entender a magnitude do seu objetivo. Trocar de carro costuma ser bem mais barato do que comprar um apartamento, por exemplo. Mas o mesmo carro também é mais caro do que fazer uma viagem.

Sempre lembrando que quanto maior o objetivo, maior o tempo e/ou valor do investimento.

Decida o valor que vai ser investido

Com os objetivos em mente e o planejamento financeiro realizado com sucesso, essa etapa fica mais fácil. O valor investido deve, naturalmente, ser menor do que tudo o que sobra mensalmente.

É importante esclarecer que existem diferentes tipos de investimentos. Algumas pessoas gostam de acumular um grande valor e investir “tudo junto”. Outras pessoas preferem estabelecer um valor mensal, como se o investimento fosse parte dos seus gastos fixos.

E lembre-se que se com o passar do tempo você perceber que o valor está inadequado, é só ajustar.

Descubra o seu perfil de investidor

De maneira geral, existem três diferentes perfis de investidor:

  • Conservador – é o perfil das pessoas que não aceitam ter nenhum tipo de perda. Só investem sabendo quanto (e quando) vão lucrar, mesmo que lucrem menos.
  • Moderado – é o tipo de investidor que aceita pequenas perdas e variações, mas não fica satisfeito com riscos que possam comprometer seu patrimônio significativamente.
  • Agressivo – é o investidor que aceita correr riscos para buscar mais rentabilidade. Perder faz parte das possibilidades, mas existe a chance de lucrar valores mais expressivos.

Apenas a leitura desses tópicos não é suficiente para você se encaixar em algum perfil. Recomendamos buscar algum tipo de teste mais profundo para entender onde você se encaixa. Muitas instituições financeiras oferecem esse tipo de teste gratuitamente.

Conheça os tipos de investimento

Existem vários tipos de investimento para escolher. A primeira (e mais básica) divisão é entre renda fixa e renda variável. Saber o seu perfil de investidor é importante nesse momento!

A renda fixa costuma ser menos rentável e muito mais segura. Entre seus principais tipos de investimento, estão:

  • Tesouro Direto;
  • CDB;
  • Fundos de investimento;
  • LC;
  • LCI / LCA;
  • CRI / CRA;
  • Debêntures.

A renda variável, por outro lado, possibilita mais ganhos e também mais riscos. Seus tipos de investimento mais conhecidos são:

  • Ações;
  • Commodities;
  • FIIs;
  • ETFs;
  • Contratos futuros;
  • COE;
  • Opções;
  • Moedas virtuais.

Estude e decida

Antes de fazer um investimento grande, estude as opções. Entenda a diferença de risco, de ganho e de prazo em cada situação. Poucas coisas são tão sérias como começar a investir, por isso é importante ter esse cuidado extra.

Esse estudo deve, naturalmente, levar em conta o seu objetivo e o seu perfil de investidor. Assim você consegue montar uma carteira de investimentos que combine com você e suas necessidades.

Procure uma corretora e abra sua conta

Essa etapa pode ser feita a qualquer momento. A recomendação para que você deixe para fazer isso depois de estudar e montar sua carteira é estratégica. Dessa forma, você não precisa lidar com a ansiedade de ter a ferramenta na mão antes do conhecimento. Isso diminui a chance de fazer um investimento equivocado por impulso.

Vale lembrar que nem todas as corretoras fazem todos os tipos de investimento. Esse é outro motivo para que você primeiro decida seu investimento e depois abra a conta. Assim você pesquisa para abrir a conta em uma corretora que atenda suas necessidades. Mas não esqueça que além de aceitar o investimento que você procura, a corretora precisa ser de confiança. Busque referências e escolha com muito cuidado, porque é na corretora que seu dinheiro estará.

E os bancos? Bancos costumam oferecer opções de investimentos que são muito vantajosas para os próprios bancos. Abrir uma conta em corretora ajuda você a expandir seus horizontes para conhecer todas as possibilidades de investimentos. Quando você deixa de lado o banco e usa uma corretora, ganha liberdade e autonomia.

Faça um teste

Por não saber como começar a investir, muitas vezes o primeiro passo é o mais difícil. No mundo das finanças é normal que isso aconteça.

Uma boa dica é separar um valor menor do que o seu planejamento indicou. O fato do valor ser menor e considerado um teste ajuda a trazer segurança para a situação. Além do que, com valores menores você pode fazer vários pequenos testes em investimentos diferentes.

Assim você se acostuma com a ideia de fazer investimentos e com o funcionamento deles. Além disso, vai aprendendo a usar a plataforma e a fazer as operações necessárias para investir. Quando chegar o momento de aplicar todo o dinheiro que você gostaria, essa será uma ação familiar.

Invista!

Depois de tantas etapas, você já vai saber como investir. Agora é só aplicar o seu dinheiro e seguir o que você planejou.

Nesse momento é fundamental ter paciência e disciplina. Investimentos costumam demorar algum tempo até darem o retorno desejado. Mantenha o foco e o comportamento que você planejou quando decidiu investir. A disciplina e a paciência são a chave para o sucesso de muitos investidores e podem ser para você também.

Mas não esqueça que suas decisões não precisam durar para sempre. Se ao longo do caminho você perceber que houve um equívoco no planejamento, mude. O importante, nesse caso, é que essa mudança seja motivada por estudo, e não por impulso. Nesse caso é importante fazer um novo planejamento, inclusive repensar seu perfil e toda a sua carteira de investimentos.

Leia também: Quais são os melhores cartões de crédito do mercado?

Esperamos que depois dessa leitura você tenha mais conhecimento sobre como começar a investir. Se ainda estiver com alguma dúvida, fique a vontade para deixar um comentário! Se você conhece alguém que também está começando a se interessar por investimentos, compartilhe esse artigo!

E para seguir bem informado sobre finanças, investimentos e cartões de crédito, continue acompanhando o Meu Cartão de Crédito.

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior
melhor programa de pontos

Qual é o melhor programa de pontos hoje em dia?

Próximo
como pedir cartão de crédito

Como pedir cartão de crédito? 6 dicas para ser aprovado

Posts Relacionados
Total
0
Share